terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Política, religião e futebol realmente não se discutem?



Eu assim como todos já ouviram esta frase em algum momento de sua vida. E ultimamente tenho ouvido mais que o normal. Mas isso não me impressiona já que cada vez mais as pessoas negam a verdade absoluta e defendem que cada um tem a sua verdade e por isso nenhuma discussão levaria a algum resultado. É o famoso relativismo. A questão é que nunca concordei com a dita frase que desmorona a oportunidade de qualquer debate e geralmente é proferida por pessoas que não possuem argumentos para sustentarem aquilo que dizem acreditar ou pior ainda realmente acreditam que a verdade é relativa.
Bom vamos começar explicando que o relativismo nunca demonstrou eficiência e isso vem desde a Grécia antiga e Sócrates se divertia fazendo questionamentos aos sofistas que eles não sabiam como responder e acabavam por assumir sua ignorância. E é muito difícil encontrar um filósofo “sério” que defenda a relativização da verdade e até hoje se procura alguém que a consiga provar. Pelo simples fato de que ao se dizer que a verdade absoluta não existe se cai em um problema de lógica, aliás a lógica é a forma mais simples de se provar a verdade, ao dizer que a verdade absoluta não existe logo esta seria a única verdade existente, sendo assim a verdade existe. De qualquer forma a verdade continua a existir, mesmo quando se tenta nega-la.
Desde os primórdios o ser humano decide seus problemas por meio de discussões, antes das eleições vemos vários debates para poder escolher nossos governantes e o mais triste é quando vejo fiéis negando princípios básicos de sua fé. Como podemos não discutir política? Um tema importantíssimo que rege a vida de todo cidadão na face da terra. É inegável que se faz necessário debates, discussões e conversas acerca da visão política de cada um, para que uma visão falsa e distorcida não engane toda uma população e a faça sofrer assim como foi o nazismo na Alemanha e o Socialismo. Dois modelos políticos que são comprovadamente falhos e não eficazes, e isso é facilmente provado em um debate, logo se não há debates neste sentido estas idéias falhas crescem e acabam por causar grande estrago. A falta de debate na política só favorece quem mantém um discurso sensacionalista e demasiado populista e que não conseguem sustentar suas idéias durante um confronto de idéias. Logo evitam ao máximo este tipo de embate para não expor suas franquezas. A política não só se discute como é essencial que se faça para melhorar as ações e corrigir os erros e evitar a posse de maus governantes e aproveitadores.
No âmbito religioso é ainda pior tentar conversar com alguém sobre algum assunto que se tenha uma visão diferente. Mas se tem algo que realmente me entristece é alguém que se diz cristão dizer que a verdade absoluta não existe, talvez ao dizer isso ela não perceba mas acaba de chamar Cristo de mentiroso já que ele disse: ”Eu sou o caminho, a verdade e a vida.” Logo, como pode alguém negar a verdade e se dizer cristão? É uma grande incoerência e a incoerência é uma marca do relativismo. Claramente que religiões e princípios religiosos se debatem já que como existem modelos políticos que prejudicam toda uma sociedade o mesmo ocorre quando o assunto é religião, já que temos parte de nosso caráter moldado a partir da religião que temos, logo se uma determinada religião propaga valores e princípios que perturbem ou ainda distorcem a vida em sociedade e coloca a vida humana em risco estas religiões devem sim sofrerem grande confrontamento para que não prejudiquem toda uma sociedade. Um bom exemplo são religiões que espalham o relativismo. Porém o medo das pessoas debaterem sua religião com outras é de ter que admitir uma possível falha ou erro, ou ainda de não possuir argumentos e conhecimentos suficientes para tal feito. Porém quando alguém me diz que não debate determinado assunto por não possuir conhecimento que sustente sua posição fico satisfeito, pois é uma pessoa que não exclui o debate mas apenas não pretende entrar em um sem base e isso é louvável.
Já o futebol dos três assuntos é o único que eu reconheço que em alguns, e eu disse alguns casos, realmente o debate não serve para nada, por exemplo, por que alguém torce por determinado time. Bom poderia alguém me perguntar por que eu excluo o futebol. E o fato é que o futebol e a escolha de um clube de coração não é fruto de um pensamento lógico ou racional como ocorre na política e na religião. É praticamente impossível explicar o porquê de se torcer para determinado clube. É um sentimento, depende do gosto da pessoa e gosto este sim não se discute. Gosto não se discute, pois este é variável e não há um absoluto. O que devemos ter cuidado é para não confundir gosto com verdade. Um exemplo: Uma maçã, alguns podem gostar ou não de maçã, mas ninguém pode negar que a maçã é uma fruta, isso é uma verdade inegável mesmo por quem não goste de maçã. Espero que isto tenha explicado a diferença entre gosto e verdade. Mesmo assim existem situações no futebol que merecem um debate profundo, direto e aberto. Logo nenhum assunto se exclui um bom debate para se apurar os fatos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário