quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Bento XVI deixa hoje o Papado, um dia histórico



  
Depois de 20h de hoje, hora local de Roma, ou 16h aqui no Brasil Sua Santidade o Papa Bento XVI não exercerá mais suas atividades pontifícias a frente da Igreja Católica. Será o fim de um papado de 8 anos. Um marco histórico na história, já que a última vez que um papa renunciou foi em 1415, há exatos 598 anos. Porém, as características da renúncia de Bento XVI fazem com que esta seja marcada historicamente como única. Foi a primeira vez que um papa anuncia sua renúncia e não deixa o posto imediatamente, Bento XVI anunciou sua renuncia no dia 11 de fevereiro para sair hoje (28/02), passados 17 dias do anuncio. É também o primeiro papa da era moderna que renuncia.

Bento XVI foi eleito em 19 de abril de 2005 aos 78 anos de idade, após o falecimento comovente de João Paulo II. Muito se esperou fora da Igreja de seu pontificado, talvez que seguisse uma linha mais progressiva ou que revisse algumas posições. Ledo engano, aqueles que conheciam a Igreja e a trajetória do cardeal Joseph Ratzinger sabiam que não seria por aí. Bento XVI priorizou situações e problemas internos da Igreja, proporcionou uma aproximação com os chamados “tradicionalistas” da Igreja, autorizando a celebração do Rito promulgado pelo papa São Pio V, onde o padre celebra de costas para o povo e em latim, em qualquer paróquia em que haja interesse dos fieis. Em seus documentos emitiu muita preocupação com o relativismo e se preocupou e acompanhou de perto os casos de pedofilia dando orientações e declarações de que estes sacerdotes fossem entregues à justiça comum. 
Bento XVI em sua última audiência pública na praça São Pedro

 Politicamente ele não teve a mesma influencia que seu antecessor, João Paulo II, mas a idade pesou neste sentido, João Paulo II foi eleito com apenas 58 anos, enquanto Bento XVI ostentava 78 anos quando eleito e não possuía o perfil comunicativo e carismático do qual o mundo se acostumou durante os 27 anos de pontificado de João Paulo II. Mas Bento XVI foi aos poucos se mostrando mais enérgico e receptivo que muitos esperavam e previram. Conquistou em pouco tempo o carinho e o respeito da juventude católica de todo o mundo, e sua primeira demonstração deste carinho e respeito foi o entusiasmo de cerca de 1,2 milhões de jovens que receberam Bento XVI na Jornada Mundial da Juventude de 2005 em seu país natal, a Alemanha. Bento XVI participaria ainda de mais duas JMJ, a de Sydney na Austrália que contou com cerca de 400 mil jovens em 2008 e em Madrid na Espanha que teve a um público de cerca de 2 milhões de jovens, derrubando assim a imagem de que seria uma pessoa fria e que teria problemas com a juventude dos tempos atuais. Na política obteve feitos importantes, como a aproximação com a Inglaterra, bento XVI foi o primeiro papa a ser recebido em terras britânicas com honras de Estado desde o rompimento de Henrique VIII com a Igreja Católica em 1534, estabelecendo a igreja Anglicana como a oficial no país, o convite foi feito pela Sua Majestade a Rainha Elisabeth II. Discursou como chefe de estado no parlamento Alemão e conseguiu que em Cuba fosse declarado os feriados nacionais da Páscoa e do Natal, fato que não ocorria na Ilha desde a revolução que colocou Fidel Castro no poder em 1959. 

Mosteiro Mater Ecclesiae onde viverá Bento XVI
Mosteiro Mater Ecclesiae ode viverá Bento XVI com a Basílica de São Pedro
ao fundo.

 Reconhecidamente um intelectual e com conhecimento teológico e eclesial que o fazem ser respeitado em todo o mundo, Bento XVI foi talvez o papa mais intelectual da Igreja, e seu último ato foi um exemplo de simplicidade e humildade ao renunciar ao posto máximo da hierarquia. Fato que surpreendeu a todos, e o fez ser apontado como exemplo de desapego ao poder. Para os Católicos mostrou que o mais importante é a confiança que quem governa a Igreja é Deus e não o papa, sendo este apenas um instrumento. Mostrou que a grandeza pode estar não somente em utilizar o poder que esta em suas mãos, mas também em abrir mão dele.


Contrariando a grande mídia ele não foi o papa ranzinza que disseram que seria. Derrubando projeções e surpreendendo em muitos aspectos, Bento XVI marca seu nome na história da Igreja de modo incontestável e de forma muito interessante, que com certeza será fonte de estudos e análises. Simplório, irá ocupar um singelo quarto no mosteiro Mater Ecclesiae, dentro dos muros do Vaticano onde viverá até o fim de seus dias em meditação e oração. Será chamado de Sua Santidade Papa Bento XVI emérito, continuará a usar as vestes brancas, veste dos papas, mas será mais um súdito e obediente do novo pontífice que será eleito. É gratificante poder assistir estes fatos históricos. A este que se mostrou um grande homem e um grandioso papa, que o mundo aprenda com seus exemplos e conselhos. Que Deus sempre o acompanhe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário