segunda-feira, 22 de abril de 2013

Produtores jogam gado morto na porta do Banco do Nordeste para protestar



Imagem publicada em um portal da Paraíba

Enquanto os novos e modernos estádios que sediarão jogos da Copa das Confederações e Copa do Mundo começam a ficar prontos, o povo do sertão nordestino não sabe o que fazer para sobreviver à seca que arrasa o sertão. A tão prometida transposição do Rio São Francisco nunca chega ao fim, em alguns lugares, aliás, nem começou. Enquanto isso os pequenos produtores do sertão se afundam em dívidas no Banco do Nordeste para tentarem sobreviver e manter seus gados vivos. Um esforço em vão.

A principal fonte de receita dos sertanejos durante os momentos de aperto são os empréstimos no Banco do Nordeste, instituição que tem como principal acionista a União que detém mais 90% das ações, que os sertanejos dizem abusar das cobranças de juros sobre os valores emprestados. Desesperados com a perda dos rebanhos e sem previsão de como poder pagar as dívidas que em alguns casos já se arrastam por 10 anos. Criado há 60 anos para promover o desenvolvimento do nordeste, agora os pequenos produtores rural reclamam dos abusos do banco.
Neste dia 22/04 o município de Guarabira na Paraíba protestaram contra aquilo que eles chamaram de “desonesto e abusivo”, reclamam que o Banco do Nordeste aplica juros abusivos e que com a atual situação no sertão é impossível pagar as dívidas que se acumulam no Banco. Como protesto pequenos produtores rurais da cidade despejaram na porta da agência do Banco do Nordeste várias carcaças de gados mortos devido a estiagem. Os produtores também reclamam que o governo federal não executa auditorias no banco, o que favorece as irregularidades. É curioso o abandono do governo federal com o nordeste, já que foi nesta região que Dilma recebeu a maior proporção de votos em 2010.
A situação é crítica na Paraíba, segundo o Insa 71% do território daquele estado está com o solo desertificado e a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) anunciou que o açude do Boqueirão pode entrar em colapso em 2014 deixando mais de 1 milhão de pessoas sem água no interior da Paraíba e as obras de transposição do Rio São Francisco estão paradas na sua maior parte, o que causa mais desespero aos moradores do sertão nordestino. 

Confira imagens do protesto:

Nenhum comentário:

Postar um comentário