quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Blood Money, o filme que mostra como funciona a indústria do aborto nos EUA chega ao Brasil. Assista!




Será lançado no Brasil o filme “Blood Money – O aborto legalizado”, um filme que todos devem assistir. Um filme que mostra de forma clara e objetiva a indústria que se desenvolveu em torno do aborto nos EUA. Lá, o aborto foi legalizado há 40 anos pela Suprema Corte. Aqui, cerca de 70% da população é contrária ao aborto e por saber disso, os defensores do aborto apelam ao Supremo Tribunal Federal para não precisar debater abertamente a questão.

O filme “Blood Money – O aborto legalizado” que será lançado no Brasil amanhã (15/11) é um filme essencial para quem deseja ter uma segunda opinião a respeito do assunto que gera polêmica sempre que é citado.

O filme, um documentário produzido e dirigido por David K. Kyle será lançado no Brasil pela produtora Estação Luz que adquiriu os direitos de sua exibição através de seu diretor Luis Eduardo Girão e será lançado em 9 capitais.

O enredo do filme impressiona pela capacidade de trazer a complexidade dos debates nas cortes judiciais de uma forma que todos possam compreender. Mostra como o aborto foi legalizado nos EUA e como se tornou uma indústria bilionária que só visa o lucro e se sustenta em artifícios retóricos como “defesa dos direitos das mulheres” ou “liberdade de escolha”. 

O filme é apresentado por Alveda King, sobrinha de Martin Luther King, e trás um lado sombrio e macabro dos abortos nos EUA. Ela apresenta dados e informações que mostram que o aborto se tornou uma forma de controle de natalidade da população negra americana, sobre o assunto afirma Alveda King:

“Nas comunidades afro-americanas, o aborto é a agenda prioritária. Também oferecem controle de natalidade e outros serviços de saúde, mas a ênfase se põe no aborto para progenitores negros. Dos 45 milhões de abortos estimados nos Estados Unidos, realizados desde 1973, aproximadamente 15 milhões se levaram a cabo em famílias afro-americanas.” (Alveda King, em entrevista ao Zenit)

O filme ainda mostra como as ONG e os grupos pró-aborto se aproximam dos jovens e adolescentes para promoverem o aborto. Estes grupos realizam palestras em escolas e centros sociais defendendo o direito à escolha das mulheres e incentivam que não busquem aconselhamentos em suas famílias mas sim nos centros de ajudas, que em grande parte possuem vínculos com clínicas de aborto.

Talvez o mais chocante do documentário sejam os depoimentos de mulheres que realizaram aborto, de donos de clínicas, de médicos e cientistas que dão um amplo panorama de como este assunto é delicado e não pode ser deixado sem um debate claro e aberto onde todos os lados possam se pronunciar.

O filme chega ao Brasil em um momento em que cresce o discurso pela descriminalização do aborto. E seguindo o exemplo norte americano estão recorrendo ao STF para tentar aprovar tal prática sem um debate aberto com toda a sociedade.

Infelizmente parece que a mesma prática de mentiras usada nos EUA está sendo aplicada também no Brasil. Com estatísticas fraudulentas e argumentos vazios tentam sensibilizar os tribunais para que sejam criadas jurisprudências para a legalização do aborto.

Só a título de exemplo a ONU vem pressionando o governo brasileiro afirmando que 200 mil mulheres morrem por ano no país vítimas de abortos clandestinos. Com estes números os grupos pró-aborto fazem verdadeira cruzada argumentando que se o aborto fosse legalizado não haveríamos tantas mortes de mulheres. Porém o número é fantasioso e gerado a partir de suposições que não se sustentam quando se comparam com as estatísticas oficiais do Censo do IBGE como pode ser visto aqui, nem com os dados oficias do governo pelo ministério da saúde pelo DATASUS, segundo os dados oficiais do Ministério da Saúde o número oficiais de mulheres que morrem por abortos clandestinos não chegam a 100 por ano no país.

Por tais informações se faz tão necessário este filme neste momento no país. É imprescindível que todos vão ao cinema e assistam este documentário que trata o assunto de forma direta e crua, sem rodeios e argumentos emotivos. Se quiser realmente ter a dimensão da problemática acerca do aborto não se pode deixar de assistir este filme.

Site do filme www.bloodmoney.com.br

Assista ao Trailer oficial do filme
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário