domingo, 15 de dezembro de 2013

Índia criminaliza a prática homossexual e mostra como o extremismo é irracional




Enquanto aqui no Brasil alguns grupos e partidos políticos procuram criar gays em série nas escolas, na Índia a Suprema Corte voltou a criminalizar a prática homossexual. Dois extremos, que só ajudam a mostrar que quando o estado coloca o dedo fora daquilo que lhe cabe, coisa boa não vai dar.

Muitos assim como eu ficaram surpreendidos com a lamentável decisão da Suprema Corte indiana de novamente criminalizar a prática homossexual no país. A Lei prevê pena de até 10 anos de prisão por ser “uma ofensa natural”. Tal Lei não somente é desnecessária, mas também expõem os homossexuais a uma situação perigosa, onde podem ser acusados por suspeita de relação, afinal, como o estado irá fiscalizar e provar em caso de acusações?

Caso muito semelhante, só que ao contrário, vem sendo tentado ser colocado em prática por aqui. Com projetos de Lei como o PL-122 que propõe praticamente criminalizar a heterossexualidade, inclusive interferindo na liberdade de consciência, de opinião e de expressão. E não estou exagerando, para tanto basta ouvir as palavras do ativista Gay Márcio Retamero durante o IX Seminário LGBT no Congresso Nacional.


Como foi visto no vídeo, o ativista, que se diz pastor, ataca de forma violenta os cristãos, os chamando de “desgraçados” e dizendo que a palavra casamento está eivada (cheia) de sentimentos cristãos e que tais sentimentos cristãos precisam ser retirados do casamento. Palavras curiosas para alguém que se apresenta como pastor.

A índia é um país de maioria hinduísta, e os países onde a homossexualidade é tratada de forma mais rigorosa e violenta não são cristãos, salvo exceções, então qual o motivo deste ódio todo ao cristianismo? Enquanto nos países orientais ser homossexual pode te levar a morte, no mundo “desgraçado” cristão as maiores punições são de não poder haver casamento oficial e adotar crianças. Mas nada os impede de terem seus relacionamentos e praticar a homossexualidade em sua intimidade. O cristianismo entende pois o homossexualismo como uma ofensa moral a Deus, assim como o adultério por exemplo. Mas não como um crime, como nos países não cristãos.

O fato é que tanto a Lei que criminaliza o homossexualismo na índia, como os projetos de Lei brasileiros como o Kit Gay e a PL-122 são abomináveis. Criminalizar um ato sexual cometido por adultos é interferir na intimidade e na liberdade individual de cada um. Da mesma forma querer obrigar crianças a terem aulas de educação sexual nas escolas que buscam acabar com a “heteronormatividade”, como dizem os ativistas do movimento Gay, é interferir diretamente no direito das famílias de educarem seus filhos segundo seus valores e princípios.

O estado tem coisas mais sérias para se preocupar do que a orientação sexual de cada um. Criminalizar a prática homossexual não irá impedir que tais atos ocorram e impedir que as pessoas se posicionem de forma contrária ou eduquem seus filhos desta forma não irá fazer com que todos apóiem o homossexualismo. Ambas as lei impedem um debate consciente, legítimo e racional sobre a questão homossexual. Ambas promovem o medo, só que em lados opostos.      

Nenhum comentário:

Postar um comentário