quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Marina é sinal de mudança. Será mesmo?


O brasileiro é muito peculiar, reclama do jogo político, mas participa ativamente e não faz muito esforço para que ele mude e além de tudo, ignora as ideias dos partidos e vota na pessoa, no candidato, ignorando totalmente aquilo que o partido por trás do candidato representa ou defende, ou ainda pior, não gosta do partido, mas vota em seu candidato acreditando que este irá lutar e ir contra o partido. Quanta incoerência.

Com Lula ocorreu algo parecido, as pessoas ignoraram totalmente o fato do PT ter lutado contra quase todas as melhorias ocorridas no país após a redemocratização, como a implantação do Plano Real e a privatização de áreas como a telefonia móvel e elegeram Lula, que com o discurso populista e prometendo manter o que já estava implantado (já que ele era contra) conseguiu a eleição.

O PT passou por uma profunda crise após os acordos de Lula, vários militantes abandonaram o partido e fundaram outras legendas, mas o PT não deixou de ser o PT e ao longo do tempo foi mostrando sua verdadeira política e chegamos ao ponto que estamos hoje.

Curiosamente, a tese de que o brasileiro não olha para o partido parece ter reacendido novamente após a trágica queda do avião que matou Eduardo Campos. Campos que vinha com apenas 9% das intenções de votos representava o PSB na campanha eleitoral. O PSB foi aliado do PT durante todo o tempo, inclusive durante mais da metade do mandato de Dilma Roussef, só abandonou o PT no fim de 2013 para poder lançar o próprio candidato.


Com a morte de Eduardo Campos, o PSB lançou a vice Marina Silva como candidata a presidência e de repente saltou para 29% das intenções de voto, chegando a vencer as eleições no segundo turno contra Dilma Roussef. Isso leva a uma reflexão, ela continua sendo candidata do PSB, o programa de governo é o mesmo e 20% do eleitorado olha para Marina esperando quais mudanças? O PSB foi aliado nos mandatos do PT e Marina Silva é dissidente do PT e, curiosamente, muitas pessoas acreditam que ela é sinal de mudança. Sinceramente, eu não compreendo o eleitor brasileiro.

2 comentários:

  1. É isso aí meu irmão. Ogros não tem explicação.
    Eles simplesmente fazem assim.

    ResponderExcluir
  2. Se a Marina Silva nao é sinal de mudanças, a Dilma é a presença certa do continuismo!!
    A alternancia do poder é salutar para a democracia

    ResponderExcluir