terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Enem 2014: 509 mil ficam com zero na redação mas para ministro isso não é significativo

Hoje saem as notas dos alunos que realizaram o ENEM em 2014, mas para saber em que pé está nosso ensino médio não é preciso esperar. O MEC divulgou na tarde de hoje os dados das notas da redação e o resultado é dramático e mostra simplesmente que nosso ensino médio está na UTI. E para um governo que pretende utilizar o slogan “Pátria Educadora” estes são péssimos números.

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) serve como um termômetro para se medir a qualidade do ensino médio no país, isso é claro além de servir como porta de entrada para universidades do país subistituindo o vestibular. Ano após ano, os resultados formam um perfil do ensino médio e como o país anda nesta etapa de ensino, os resultados apresentados do exame realizado em 2014 são alarmantes e por si só são capazes para gelar a alma de qualquer um que deseje ver uma educação séria neste país.

Dois números apresentados chamam a atenção, as médias das notas de Matemática e de Redação tiveram quedas consideráveis, 7,3% e 9,7% respectivamente. Mas para o novo ministro da educação, Cid Gomes, estas quedas não são tão expressivas e merecem somente um pouco mais de atenção.

"A minha opinião é de que houve uma queda em matemática e redação. Uma queda superior à margem, não diria uma queda significativa, mas uma queda que deve estimular a comunidade acadêmica a analisar as razões para isso. Um ano no Ensino Médio brasileiro não há variações tão significativas" afirmou o ministro Cid Gomes.

Apesar do pequeno aumento nas médias das notas em Linguagens na prova objetiva, os resultados da redação são alarmantes e preocupam. 8,5% dos mais de 6 milhões de alunos não conseguiram um ponto sequer na redação, foram 529.374 alunos que zeraram a redação, ou seja, não conseguiram escrever uma frase coerente em toda redação.

Outro número que assusta é que 80% dos alunos ficaram com nota na redação abaixo dos 600 pontos, ou seja, 4.967.550 alunos ficaram com nota na redação com aproveitamento menor que 60% da nota total.

Na ponta da frente os números também assustam pela falta de alunos. Apenas 8,3% dos alunos ficaram com nota na redação acima dos 700 pontos. Sim, o número de alunos que zeraram a redação foi maior que aqueles que tiveram aproveitamento maior que 70% e o número de alunos que conseguiram a nota máxima na redação não encheriam um teatro pequeno, somente 250 alunos conseguiram os 1000 pontos na redação. De pouco mais de 6 milhões de alunos somente 250 alcançaram a nota máxima, o que representa apenas 0,004% do total.

Ao contrário do Ministro Cid Gomes, considero os números alarmantes e preocupantes sobre o futuro acadêmico de nosso país. É inadmissível que um governo que se arrogue a missão de criar uma “Pátria Educadora” apresente números tão pífios. E nesta avaliação não adianta culpar o tema da redação, o menos culpado por estes péssimos resultados. Ao invés de culpar o tema, seria interessante uma análise mais profunda sobre como anda a formação dos professores que formam estes alunos, uma olhada mais atenciosa para as metodologias desastrosas que vem sendo injetadas em nossas escolas que não valorizam o estudo e o conhecimento.


Os resultados apresentados não mostram somente em que nível nossos alunos do ensino médio conhecem o tema proposto da redação, mostram algo mais sério, mostra que estes alunos não conseguem criar um texto coerente. Poucos anos atrás 80% destes alunos seriam considerados analfabetos funcionais. Será que algo mudou? Estes serão os próximos universitários, como você acha que estará o nível do ensino superior?

Leia mais:


Nenhum comentário:

Postar um comentário