domingo, 23 de agosto de 2015

Ministro elege WhatsApp, Netflix, Youtube, Skype e outros como vilões do emprego e deseja regular estes serviços


Nesta semana o Ministro das Comunicações Ricardo Berzoini (PT-SP) mostrou sua faceta mais retrógrada, anti-tecnológica e mostra que o papel de seu ministério é manter o país no mais profundo atraso e completamente desconectado com o resto do mundo. Graças à incapacidade do governo de resolver a crise em que ele mesmo se colocou, é preciso encontrar outros culpados e nesta semana WhatsApp, Netflix, Skype e outros serviços de mensagens instantâneas e de transmissão on-line de conteúdo foram acusados inclusive de “roubar” empregos dos trabalhadores brasileiros.
O governo procura mais formas de arrecadar dinheiro e as empresas que estão perdendo seus monopólios tentam barrar os novos serviços. A internet apresentou aos brasileiros novas e maravilhosas possibilidades que facilitam a vida dos usuários e que por outro lado forçam empresas e prestadoras de serviço correrem atrás para se manter no mercado. Já o governo como não produz nada, tira recursos dos impostos e taxas pagas por cidadãos e empresas e como sabemos os impostos no Brasil são pesados e dificultam muito a vida dos brasileiros e das empresas, e para piorar os serviços prestados pelo estado com este dinheiro é péssimo.

Com a internet vieram os serviços on-line. E nesta crise, muitos destes serviços têm ajudado os brasileiros a sofrer menos. Agora imaginem WhatsApp, Skype e Netflix sendo regulados. Se não consegue imaginar as consequências disso, te ajudo. Os dois primeiros provavelmente passariam a serem pagos e o último serviço teria que aumentar em muito sua mensalidade para poder pagar os tributos ao governo brasileiro. Se achar que isso é ilusão, saiba que não. Esta é a vontade do Ministro das Comunicações Ricardo Berzoini e de empresas de comunicações. No fim deste artigo você poderá ler outros textos para entender melhor a questão, mas vamos analisar o que disse o Ministro.

Regulação dos serviços on-line

Para o Ministro os serviços on-line precisam receber tratamento igual aos serviços físicos, mas pergunto. Se não funcionam da mesma forma como podem ser tratados do mesmo jeito? WhatsApp e Skype oferecem serviço de voz pela internet. Com eles é possível realizar ligações gratuitas desde que o usuário possua conexão com a internet, mas estes serviços têm incomodado muito as empresas de telefonia e o governo, cada um por um motivo. As empresas de telefonia se incomodam com a concorrência e já veem as ligações telefônicas despencarem, já que cada vez mais os usuários realizam ligações através da internet e o governo vê nestes aplicativos uma forma de arrecadar mais impostos e isso provavelmente faria estes serviços deixarem de ser gratuitos.

Mas a questão é que se por um lado as operadoras tem perdido a hegemonia nas ligações telefônicas, os usuários precisam contratar o serviço de internet e as operadoras de telefonia têm lucrado bastante com a venda destes pacotes como pode ser visto nesta matéria. As operadoras sabem que este é um caminho sem volta e cabe somente a elas criar mecanismos, serviços e produtos para não se tornarem apenas prestadoras de serviço de internet. Já no caso do governo, é apenas um caso de aumentar a regulamentação e ampliar os tentáculos governamentais e buscar as receitas com impostos e taxas. Para o Ministro os serviços que permitem ligações de voz pela internet devem ser regulados da mesma maneira como as empresas de telefonia. E o mais assustador é que existem pessoas que concordam com o ministro. E para tentar mostrar o quão equivocado está o Ministro pense no seguinte. Você aceitaria pagar o valor de uma carta a cada vez que envia um email? Não estou aí com você, mas provavelmente você acha isso um absurdo e eu concordo com você. Pois é, é isso que o Ministro quer fazer ao dizer que os aplicativos de mensagens instantâneas pela internet devem ser cobrados como a telefonia. Pode ter certeza, se o Ministro e as empresas conseguirem o que querem você terá que pagar pela internet e para realizar chamadas pelos aplicativos.

Estes aplicativos “roubam” os trabalhos dos brasileiros

Esta é a acusação que Ricardo Berzoini fez aos aplicativos de mensagens instantâneas. Sinceramente, mesmo após ler o que disse o Ministro não consegui entender a relação que existe entre o aumento do desemprego e o uso de aplicativos de mensagens instantâneas, e como não consegui compreender o que disse o Ministro não irei comentar. Mas deixo que você tire suas conclusões e procure as ligações.

Para fechar


Por fim, gostaria de pedir que você lesse os links das matérias e compreenda bem a questão e como isso poderá afetar diretamente na forma como você utiliza seu smartphone e os valores dos serviços. Considero que o brasileiro já paga impostos demais e adicionar cobranças como esta só irá tornar a vida do brasileiro mais custosa.

Leia mais:






Um comentário:

  1. Bem, Todos acima tem suas razões e revoltas, compartilho todo esse sofrimento, tenho nojo, tristeza, de viver num Pais que tem um CÂNCER NACIONAL (congresso nacional); É MUITO FÁCIL ACABAR COM TUDO ISSO EM APENAS UM DIA, é isso mesmo eu disse em apenas um dia essas safadezas e ladroagem podem acabar, ISSO É PERFEITAMENTE POSSÍVEL, nos temos esse poder, Como: BASTA NINGUÉM, MAS NINGUÉM MESMO IR AS URNAS NOS DIAS DAS ELEIÇÕES, valendo para as municipais, estaduais, e federais. DESSA FORMA ESSES BANDIDOS PASSARÃO A ENTENDER QUE QUEM MANDA SOMOS NOS, E PASSARÃO A NOS RESPEITAR.
    Após dar a eles a lição que merecem, quando voltarmos às urnas, votar somente em novos político e prioritariamente jovens, SEM VÍCIOS, que sofreu, sofre e se revolta com tudo do que atualmente esta ai, vê seus pais, amigos e o povo em geral, sofrendo, agonizando com o sugamento do nosso sangue pelos vampiros do CÂNCER NACIONAL.
    VAMOS ACORDAR!!!!!!!……….

    ResponderExcluir