sábado, 16 de abril de 2016

O impeachment resolve um problema, mas não é a solução


Estamos prestes a assistir a votação da Câmara dos Deputados Federais para decidir se aceitam ou não a denúncia de crime de responsabilidade contra a presidente Dilma para abrir o processo de impeachment no Senado Federal. Pelo que estamos acompanhando, dificilmente o governo conseguirá evitar a derrota neste dia 17/04 e com isso o impeachment seguirá seu curso. Nestas circunstâncias, resta discutir algo muito sério: Somente o impeachment será suficiente para resolver os nossos problemas?
O PMDB não é o que o Brasil precisa

De fato não há como negar que neste momento o impeachment de Dilma resolverá um problema. Mas também não há como negar que esta não é a solução para nossos problemas. O PMDB foi cúmplice do PT durante todo o tempo que este esteve na presidência. E especialmente Michel Temer não deve ser visto agora como “redentor” nacional, já que esteve ao lado da presidente Dilma e em nenhum momento veio a público se colocar contrário ao o que ocorria no Palácio do Planalto ou entregue o cargo, como fazem aqueles que não querem se tornar cúmplices de um erro grave.

E não o fez, pois conhecendo o jogo político, e tendo Eduardo Cunha como presidente da Câmara e Renan Calheiros como presidente do Senado, Temer sabe que os maiores beneficiados politicamente após o impeachment é o próprio PMDB. Mas isto já faz parte da história do PMDB, curiosamente o poder “cai no colo” deste partido que sempre com muita arte manha aparece sempre do lado vencedor. Os brasileiros se uniram para retirar Dilma e o PT do poder, mas não devemos esquecer seus aliados. Nós devemos lembrar que o “Tchau querida” destinado a Dilma, não pode nos fazer conformar com um governo de Temer, Cunha e Renan. Afinal, não é isso que merecemos.

O impeachment não pode ter um fim em si mesmo

Devemos sempre lembrar que o que a operação Lava-Jato está nos mostrando é que nossa classe política está podre. E não podemos deixar que após o impeachment seja ela que decida os rumos do país.

Esta é a oportunidade para colocar toda a classe política no papel que realmente é deles. De empregados do povo. Cabe a eles apenas cuidar e zelar para que nossos interesses sejam preservados.

E após o impeachment devemos voltar nossa atenção aos prefeitos e vereadores, governadores, deputados e senadores. Cobrar para que caiam benefícios e regalias exacerbadas que fazem com que eles se afastem da população. Afinal, político que não anda no meio da população não merece o cargo que ocupa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário