segunda-feira, 19 de outubro de 2020

Reforma Administrativa - Fim da estabilidade é um erro grave

 



O governo federal enviou sua proposta de reforma administrativa e nela foi incluída o fim da estabilidade no serviço público. Neste vídeo saiba o motivo deste ser um erro, que além de não trazer benefícios diretos a população ainda pode gerar graves problemas. A proposta de reforma administrativa além de não criar mecanismos para melhorar a qualidade do serviço público ainda deixou de fora as categorias que mais oneram o erário público. O risco de retirar a estabilidade é a entrega de todo o serviço público para decisão de políticos. O serviço público é formado basicamente por quatro categorias: Os eletivos - São os políticos eleitos, são servidores públicos e não tem estabilidade; Os comissionados - São indicados pelos políticos eleitos para cargos de liderança, confiança ou assessoramento. São servidores públicos mas não tem a estabilidade. Os contratados - São contratados para suprir uma necessidade enquanto não se tem um servidor efetivo para a função. Seu contrato tem data de início e de fim e também não possui estabilidade. Os Efetivos - São aqueles que entraram no serviço público através de concurso, não são indicações políticas e não são funcionários do governo, são funcionários do Estado e por isso não podem ser demitidos por simples vontade do político eleito.


Nenhum comentário:

Postar um comentário